Junta de Freguesia de Meãs do Campo

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
Home Noticias Meãs do Campo festeja São Sebastião

Meãs do Campo festeja São Sebastião

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

 

De 8 a 23 de Agosto

A veneração a São Sebastião, na paróquia de Meãs de Campo, é centenária. Em 1721, já a paróquia tinha “a protecção” do Mártir, como nos informa o vigário Manuel Lopez Carvalho. Com festa litúrgica a 20 de Janeiro, a comunidade de Meãs honra o seu patrono, bienalmente, no mês de Agosto, nos anos ímpares. Denodado fervor e exímia humildade, estimulam os paroquianos desta freguesia a exortar ânimo e serenidade para vencerem as dificuldades da vida que se lhes vão deparando no seu quotidiano.

Com o apoio pastoral dos párocos, “in sólido”, padres Elcio Roberto, Martinho Sousa e Lucas Pio (Instituto Jesus Redentor) e a protecção do patrono, a comunidade de Meãs continua a preservar a sua identidade religiosa. É com esta religiosidade que a comunidade de Meãs vai, mais uma vez, festejar o seu protector, em momentos de recolhimento litúrgico, com celebrações eucarísticas, procissões, momentos de convívio e de animação popular.

Procissão (foto de arquivo)Assim, nos dias 12, 13 e 14, pelas 21h30, na Igreja Matriz, haverá Triduo de Oração, e no dia 15, pelas 21h30, haverá missa solene, seguida de procissão das velas.

O grande dia festivo, 16 de Agosto, inicia-se, pelas 9h00, com arruadas pela Filarmónica 25de Setembro, de Montemor-o-Velho e Filarmónica de Serpins; pelas 17h00, será celebrada a missa solene, seguida da procissão em honra de S. Sebastião, acompanhada pelas filarmónicas referidas. Os actos religiosos continuam dias 19 e 23, com missa solene, pelas 20h30.

 

 

 

Marco Paulo entre os atractivos da animação popular

 

Iniciando-se no dia 8 de Agosto, estes tradicionais festejos em honra de São Sebastião serão anunciados por um Grupo de Gaiteiros, iniciativa que ocorrerá também dias 9 e 15; ainda neste dia, pelas 23h30, actuará a Orquestra Ligeira da Carapinheira.

Dia 16, após os actos litúrgicos, terá lugar, pelas 23h00, a actuação do grupo Fina Estampa; dia 17, pelas 16h00, terá lugar uma tourada à vara larga; 21h00, actuação do Rancho Folclórico e 23h00, actuação do grupo de baile Ira; dia 18, 16hoo, tourada à vara larga; 21h00, Rancho Folclórico e 23h00, actuação do grupo de baile Diapasão; dia 19, 16h00, tarde desportiva; e 22h00, Prata da Casa, seguida de grupo de concertinas; dia 20, 16h00, tourada à vara larga; 21h00, actuação da Banda S. Sebastião e 23h00, actuação da orquestra espanhola Salsa Rosa; dia 21, 16h00, tourada infantil à vara larga; 22h00, actuação do Conjunto Típico Cantares ao Desafio e 23h30, actuação do grupo de baile TV5; dia 22, 16h00, tourada à vara larga; 22h00, actuação do grupo de baile Banda Arcádia e 23h30, actuação do Artista Marco Paulo; dia 23, 16h00, tourada à vara larga; 21h00, Festival Folclore; 23h00, agradecimentos às Entidades Oficiais e à População e nomeação da comissão de festas para 2011; 23h30, actuação do grupo de Baile Renascer, que encerrará os Festejos.

A festividade tem o apoio da comunidade de Meãs, diversos empresários, Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, Junta de Freguesia de Meãs do Campo e Associação Cultural Desportiva e Recreativa de Meãs do Campo.

 

 

São Sebastião

 

Imagem de São SebastiãoEmbora a sua festa litúrgica seja comemorada a 20 de Janeiro, São Sebastião é, por tradição, solenemente festejado, em Meãs do Campo, no mês de Agosto.

A figura de São Sebastião é popular. A sua representação gráfica - atado à árvore, semi-nu e cravado com setas - é muito antiga e bastante divulgada pelos artistas do Renascimento. O seu martírio é descrito nas Actas de Santo Ambrósio.

Sebastião era um valente e robusto Centurião do exército romano. Obrigado a sacrificar aos deuses, negou-se absolutamente. Mantendo o seu propósito, foi atado a uma árvore, no parque do Imperador, despojado dos seus distintivos militares e cravado de setas pelos seus mesmos soldados, que o deixaram por morto.

Mas na realidade não o estava e, restabelecido deste tormento, entrou no palácio, para confessar novamente a sua fé; então a guarda do Imperador Maximino pôs-lhe fim à vida, passando, assim, por um duplo martírio.

Numa das suas prédicas, Santo Ambrósio, do século IV, diz-nos textualmente o seguinte: “Aproveitemos o exemplo do Mártir São Sebastião, cuja festa celebramos hoje. Era oriundo de Milão e foi para Roma no tempo em que a fé sofria lá tremenda perseguição. Aí padeceu, quer dizer, foi coroado”.

Venerado desde a antiguidade, São Sebastião, em Portugal, é invocado contra a peste e epidemias.

 

 

 

Fonte: GRPC - Aldo Aveiro (29-07-2009)